sexta-feira, 5 de setembro de 2014

Óleos isolados: o perigo para nossa saúde

Olá meus queridos!

Hoje tenho uma informação SUPER importante para passar para vocês.

Engraçado como que eu nunca postei sobre isso por aqui, apesar de não fazer mais parte da minha dieta diária há bons anos, desde que adotei o frugivorismo como minha base alimentar.




O Perigo dos Óleos Isolados


Há muito tempo que não tenho como alimento na minha cozinha os óleos isolados, ou mais conhecidos como: azeite de oliva, óleo de linhaça, de girassol, de soja, de milho, de gergelim etc. Somente tenho o óleo de coco, que mais uso para passar na pele como um maravilhoso hidratante corporal, e às vezes uso na cozinha para untar uma forma quando faço algum prato para não grudar, porém é bem raro.

Inclusive, não caia nessa onda de que o óleo de coco é super saudável, emagrecedor e bom para saúde na forma como divulgam para ser consumido. Mais para frente e no vídeo que recomendo você assitir abaixo vai falar melhor do porquê você não deve cair nessa.

Outro detalhe importante no final deste post, são as referências que tenho para compartilhar que comprovam o que estou escrevendo aqui neste post. Se você tem interesse em saber mais e ter comprovações científicas, por favor, acesse os links. 


Bom, e por quê não seria tão recomendado assim a utilização de óleos isolados na nossa alimentação diária e em tamanha quantidade como é usado e propagado por aí como sendo "super alimento", "emagrecedor", desintoxicante, etc.?

Simplesmente porque eles são ISOLADOS (= refinados). Não são alimentos inteiros, integrais, e por isso tem uma concentração TÃO GRANDE de gordura, que nosso fígado no final das contas fica super prejudicado tendo que lidar com todo esse excesso e concentração de óleo consumida. Se você for ler o fator nutricional nas embalagens de óleos, você verá que eles nada mais tem do que 100% de gordura. Não tem nada de carboidrato, de fibras, de proteína, somente gordura, e muito concentrada.

Toda vez que consumimos alimentos refinados, temos um desequilíbrio no nosso consumo de nutrientes essenciais (macronutrientes: carboidrato, proteína, gordura e micronutrientes) que só vem de alimentos inteiros (que tem total equilíbrio deles).

Por eles não conterem suas fibras, os óleos isolados oxidam muito rápido, se tornando rançosos, mesmo que sejam prensados a frio e extra virgens. Para o nosso corpo interno (nossos orgãos) eles são muito prejudiciais. Óleos isolados deveriam ser usados na pele como hidrante, ou como é usado na aromaterapia, não na nossa dieta diária.

Para dar mais embasamento recomendo fortemente que você assista esse vídeo abaixo da minha querida Conceição Trucom que é química e palestrante de alimentação natural, e fez esse maravilhoso vídeo para informar as pessoas do perigo que é o consumo desses óleos isolados.





Uma outra leitura que recomendo é ler o livro " The 80/10/10 Diet" - Dr. Douglas N. Graham, onde descobri o malefícios dos óleos isolados e do excesso de gordura na dieta. Recomendo muitíssimo mesmo!

Diabetes e Cândida x Açúcar


Bom, aproveitando que estou falando dos óleos isolados e do excesso de gordura na dieta, nada melhor do que aproveitar a deixa e já comentar algo muito importante também.

Primeiro vou começar falando sobre a diabetes. Ela não é um problema do açúcar. Ela é um problema do excesso de gordura que consumimos. Isso mesmo. A gordura (ainda mais quando é ingerido o óleo isolado) em excesso tem um poder de bloquear a entrada do açúcar para nossas células. E se você não sabe, tudo que consumimos tem que ser transformado em açúcar para ser absorvido pelas nossas células, pois açúcar é o alimento primordial delas. E quando ele não consegue ser absorvido, pronto! o pâncreas é acionado fortemente para que mande insulina para abrir essa portinha e o açúcar conseguir entrar nas células. É sempre um esforço para o corpo ter que lidar com essa situação, e uma hora ou outra ele pode virar uma doença...o DIABETES, por exemplo.

Já no caso da Candida, é quase o mesmo cenário, só que o excesso de gordura contribui para o crescimento da candida (em um trabalho incrível que o organismo faz) para consumir todo o açúcar em excesso na corrente sanguínea que, novamente, não consegue ser absorvido pelas células por causa (antes) do excesso de gordura.

Quer mais informação? Assista esse vídeo abaixo:





Informe-se e mude para melhor


Então, não se engane, procure mais informações, saiba que o açúcar ideal é o açúcar das frutas inteiras/integrais e maduras. E que a diminuição do consumo de gordura na dieta é fundamental para um reequilíbrio na saúde.

E mais do que isso, além da diminuição do consumo de gordura, o mais importante é dar ênfase nas gorduras integrais/inteiras como nos alimentos como: castanhas, sementes, abacate, coco. E em suas formas como manteigas integrais como as da maravilhosa marca brasileira Bioporã (www.biopora.com) que tem toda a sua linha de manteigas veganas integrais moídas em moinhos de pedra de forma artesanal.


Mais Soluções


- Na minha dieta e no meu dia a dia na cozinha, dou sempre preferência para os molhos feitos com essas manteigas diluídas com suco de limão e água ou um pouco de sal ou shoyu. Como por exemplo: tahine cru com limão e pitada de sal. Simples assim. Alimento integral até no molho :)
E se eu não usar as manteigas, utilizo abacate, ou as castanhas inteiras ou sementes inteiras raladas ou liquidificadas com ervas.

- Para refogar os alimentos, também não utilizo óleo. Dou preferência para panelas antiaderentes como de cerâmica (ou de pedra... e se for usar as de teflon, utilize com muita cautela somente com colheres de pau, e nunca com metais), e refogo com um pouco de água se necessário. Super simples e sem óleo ;)

- Se for assar algo, utilizo papel tipo manteiga na forma para não precisar utilizar óleo, ou de vez em quando utilizo um pinguinho de óleo de coco para untar se eu não tiver na mão o papel tipo manteiga.

- Substituição do óleo como: azeite, canola, soja, girassol, milho em receitas como bolos, empadinhas etc, utilizo o leite de coco fresco e artesanal ou uma quantidade pequena de óleo de palma orgânico para dar liga. Essas são substituições um pouco mais "saudáveis" para preparar esses tipos de pratos, porém claro que para serem consumidos de vez em quando, com moderação.

- Para aproveitar melhor todos os nutrientes de sementes e castanhas, dê sempre preferência para essas oleaginosas CRUAS, e deixe-as de molho e/ou germine para acordá-las e para serem retirados seus fitatos que podem vir a ser fatores antinutricionais. Além do que, você as torna mais digestas, hidratando-as.

- Comendo fora:
-> Evite os molhos que vem nas saladas de restaurantes. Peça para vir sem molho, e se puder peça fatias de limão e orégano seco para temperar e se eles tiverem só as castanhas ou sementes inteiras ou um abacate bem madurinho, peça também.
-> Evite os pratos que contenham muito óleo, e/ou peça para diminuir a quantidade (a gente sempre tem que falar com os garçons nossas preferências, e se der para modificar um prato ou outro, maravilha!).
-> Se comeu uma refeição fora de casa com muito óleo, passe o dia comendo bastante verdura (folhas verdes) e não repita pratos cheios de óleo no dia seguinte :) Deixe para certas ocasiões comer esses pratos.

- Coma mais em casa!!! Desta forma você terá a certeza que não colocará um pingo de óleo no seu prato, e conseguirá mais saúde a curto e a longo prazo!

Essas são algumas dicas básicas para você implementar no seu dia a dia, e diminuir o consumo de óleos refinados e isolados na sua dieta. Pode ter certeza que quanto mais diminuir, mais você sentirá como é pesado comer uma refeição besuntada de óleo (por mais "puro" que ele seja!!). A leveza dos alimentos integrais é totalmente benéfica para nós, pois além de tudo nos ajuda a ter mais equilíbrio e não comer tanto devido as fibras que eles possuem.

Diga mais não aos alimentos refinados e super concentrados! 


Foque nas frutas maduras e vegetais frescos! ;)

Beijos de luz, amor e saúde!

Malu


REFERÊNCIAS (dentro desses artigos, tem mais referências que eles compartilham):

http://www.drfuhrman.com/faq/question.aspx?sid=16&qindex=8

https://www.pritikin.com/your-health/healthy-living/eating-right/1103-whats-wrong-with-olive-oil.html#.VA31QGRdUqk




Se inscreva no site!
www.alimentacaointeligente.com.br

Curta no Facebook! 

www.facebook.com/alimentacaointeligente 
www.facebook.com/malupaesleme

Me Siga no Instagram!

@malupaesleme

7 comentários:

Anônimo disse...

Perfeito!!!!!

Emilly Francielly disse...

Oi Mallu! Minha pergunta é sobre fritar coisas, como fazer? não fazer? existe uma quantidade certa para fazer?

Anônimo disse...

Agradecimento por compartilhar tantos saberes e dicas importantes a serem experimentadas no nosso dia a dia. Muito por sua pesquisa e fundamentação dos assuntos descritos.
Edu

paola chita disse...

oi malú, que interessante este post! jamais teria imaginado que óleos que estao o tempo todo em todos os meios de comunicacao podem ser na verdade prejudiciais para a nossa saúde! Eu tenho uma pergunta: como se hidrata as amenoas antes de come-las? nao sei como seguir sua dica. é deixar de molho meia hora antes? obrigada! bj!

Alice disse...

Gratidão Malu !!! :D mil beijos!

Malu Paes Leme disse...

Oi Emilly!
Fritar não seria o ideal. Qualquer fritura é prejudicial, pois esquenta o óleo a tal ponto que ele se torna cada vez mais perigoso para o corpo digerir. Claro que uma vez ou outra (se realmente as pessoas consumissem algo esporadicamente) não seria tão prejudicial como é consumir fritura diariamente. Eu realmente não recomendo fritura. Prefiro refogar as coisas na água, ou no máximo utilizar óleo de coco, mas muito raramente. Dizem (estudos) que o óleo de coco modifica menos sua estrutura quando levado a altas temperaturas. Eu prefiro evitar, mas se for utilizar, que seja ele.

Malu Paes Leme disse...

Oi Paola!

Para hidratar as sementes e castanhas, é bom deixar uma noite pelo menos de molho em água filtrada. DEpois, no dia seguinte descartar a água, enxaguar e uitilizar na receita ou no consumo in natura / inteira. ;) Super simples!