quinta-feira, 10 de outubro de 2013

Protegendo as futuras gerações - Dia das Crianças 2013



Teria?

Essa pergunta vale uma reflexão para várias áreas da nossa vida. Mas, hoje eu quero que você avalie o estado de saúde que você está atualmente. E reflita com essa pergunta: Quais foram suas escolhas durante a sua vida com alimentação e estilo de vida, que geraram as consequências que você vive hoje? 

Refletiu? 

Bom, agora eu quero falar com você sobre algo que está afetando negativamente a saúde das crianças no Brasil ultimamente: Obesidade Infantil, Diabetes, Câncer e Alergias Alimentares, só para citar alguns. E, de como nós, adultos, temos uma influência enorme nisso, e claro, como podemos mudar isso.

A consequência dos hábitos alimentares dessas crianças, que acabam gerando um estilo de vida precário em todos os sentidos como: sendentarismo, fadiga física e mental,  pouco ou nenhum contato com a natureza, hipertavidade etc., vem de um consumo exagerado de alimentos industrializados (você pode ler mais sobre a indústria alimentícia neste post) , fast foods, cheios de agrotóxicos, que crescem muito distantes de nós e, que claro, vem também do nosso exemplo como adultos. Sim, as crianças em estado de crescimento são muito mais visuais e pouco racionais. Você pode dizer pra elas: "não coma batata frita!", mas aí você vai lá e come um prato cheio de batata frita. Aquela informação verbal que você enviou pra ela é perdida na mesma hora. Elas veem o que está acontecendo ao redor e repetem. É automático. E sua tentativa de mudar a criança (o outro) em vez de se mudar primeiro acaba sendo em vão...

Muitos países levam o valor do exemplo bem à sério, como é o caso da Alemanha. Eu nunca me esqueço de um amigo do meu pai, que um dia estava nos contando sua estadia por um mês por lá, e quando foi atravessar a rua sem o sinal ter fechado realmente (coisa que muitos de nós brasileiros fazemos diariamente), levou um grito e um NÃO bem alto para não atravessar, porque ela estava com uma criança ao lado dela e aquele era um exemplo negativo. 

Tudo bem, a Alemanha assim como outros países, são lugares mais frios, mais racionais e organizados, além de serem mais antigos do que o Brasil. Aqui nós somos muito novinhos (em questão de colonização, guerras etc), além de sermos um país tropical, quente e latino (muito sentimentais e menos racionais) o que quer dizer também, menos organizados e que agem mais por impulso do que por razão. 

Enfim, tudo isso nos faz refletir na forma como nós lidamos com nossa maneira de agir, de ser e, claro, de se cuidar (alimentação e estilo de vida) na sociedade - sociedade esta que inclui muitas crianças, que são a nova geração e que estão nos assistindo de camarote diariamente. 


Hoje o Brasil está cada vez mais se comparando com países com alto índice de obesidade, tanto infantil quanto de adultos. 

Um documentário que eu recomendo MUITO para ser assistido com toda a família é o doc "Muito além do peso" dirigido por Estela Renner. O documentário revela que, já há no Brasil uma geração de crianças condenadas a morrer cedo ou ter problemas de saúde em função de maus hábitos alimentares. O filme afirma que 56% dos bebês brasileiros com menos de um ano de idade tomam refrigerantes. Um terço das crianças brasileiras está acima do peso ou obesa: 33% têm obesidade, sendo que quatro de cada cinco delas deverão manter-se nessa condição até o fim da vida.

Assista.





A obesidade tem causa multifatorial, envolvendo questões biológicas, econômicas, sociais, políticas e culturais. Mas uma das principais causas costuma ser o desequilíbrio entre o consumo de alimentos e o gasto de calorias. E eu ainda acrescentaria que uma das causas principais também é que nós, e consequentemente, as crianças não plantam mais seu próprio alimento. E isso nos distancia de tal forma da natureza, e de uma alimentação natural que complica ainda mais a reversão dessa situação. Afinal, a criança que planta alface, vai gostar de alface. A criança que planta cenoura, vai gostar de cenoura muito provavelmente. O contato com o alimento desde da semente, depois com o broto e com a planta transforma a nossa relação com o que nos nutre, totalmente. E ainda mais com as crianças! que levam tudo para o mundo da fantasia, dos sentidos e curtem cada processo de forma profunda e memorável pra vida toda. 





SOLUÇÕES

Por isso, eu acredito que algumas soluções para reverter esta situação são:

- Trazer cada vez mais para as escolas e para a casa (se houver espaço) a oportunidade de conhecer uma horta orgânica ou plantar uma horta. E participar de todo o processo desde: semear, plantar, colher e consumir. 

- Os próprios pais, irmãos e familiares mudarem a si mesmos no hábito alimentar e de estilo de vida para servir cada vez mais como exemplo de uma vida mais saudável e ativa, mais natural e mais conectada.

- Colocar as crianças para tocar nos alimentos naturais, deixar elas aprenderem a cozinhar e brincar de inventar receitas. Isso as aproxima cada vez mais do alimento natural e saudável e as faz sentir mais graça de consumir algo que elas mesmo preparam. 

- Evitar dar e consumir alimentos industrializados, refinados, de fast food e cheios de química. Você só acha que criança não gosta de frutas e vegetais, mas na verdade esse é o nosso alimento biológico. É porque desde antes da criança nascer (na barriga da mãe), ela foi "alimentada" com alimentos nada naturais e cheios de químicas, e depois que veio ao mundo continuou consumindo esses alimentos que matam a papila gustativa. Não existe nenhum outro animal na Terra que não goste dos seus alimentos biológicos, porque se isso acontecesse esse animal morreria de inanição. Eles podem até preferir mais um tipo ou outro, mas não gostar de nenhum alimento biológico? Acho que não. O que acontece é que o paladar das crianças é muito mais puro quando elas ainda são crianças, mas o contato cada vez mais diário com alimentos cheios de sal, açúcar, condimentos, glutamato monossódico e outras excitoxinas, vicia a papila gustativa de uma forma que elas não conseguem sentir o real sabor dos alimentos naturais como as frutas e os vegetais. Mude isso. 

- As crianças (e aqui eu incluo todas de 1 à 100 anos) precisam de nutrição e não somente de alimentos para alimentar vícios e emoções. Muitos de nós estão carente de nutrientes e isso nos leva à péssima qualidade de vida. Por isso, aumente consideravelmente a sua ingestão e a deles de frutas e vegetais de preferência orgânicos! diariamente. 

-A prática de atividade física é essencial para ajudar também a reverter esse problema, por isso cada vez devemos ir e/ou promover eventos de esportes para incentivar as crianças a se movimentarem. Ficar sentado no sofá de casa o dia todo e incentivar a criança a fazer o mesmo só vai piorar o quadro. 

É preciso realmente que sejamos o melhor exemplo para essa nova geração. Queremos ou não criar um mundo mais saudável, mais limpo, mais justo e melhor de se viver? 

Beijos e até o próximo post! 

Malu







Um comentário:

Antonioni disse...

Muito bom. Gratidão Malu.