quarta-feira, 16 de janeiro de 2013

De um extremo a outro...

Olá meus queridos,

Desde que retornei dos EUA, venho em um processo de reorganização de tudo: da minha vida, do meu trabalho, minha moradia, minha alimentação etc. É um processo e tanto, mas tá valendo à pena cada momento, pois sei que depois da "tempestade" vem sempre a calmaria. E quando digo tempestade, falo quase que literalmente, pois muitas mudanças em um espaço curto de tempo são muito fortes e profundas. E quando comento com algum amigo sobre isso, percebo que não sou só eu que estou passando por essa turbulência, mas muitas outras pessoas também. Tenho a impressão de que é realmente um momento de reviravolta no status quo do Ser Humano como um todo. 


Tenho muita coisa pra dizer, mas confesso que nem sei por onde começar. Mas, algo me veio hoje muito forte, e decidi que era hora de compartilhar com vocês nem que seja uma parte de tudo isso que tenho pra falar hoje, e outra parte outro dia. 


Me acompanhe, por favor. :)


De um extremo à outro...

Bom, primeiramente gostaria de relembrá-los que meu blog, que se chama Alimentação Inteligente não se trata somente de alimentação através de alimentos, mas sim uma alimentação mais inteligente, uma nutrição real que está além dos alimentos naturais, que venha do que você ouve, do que você vê, do que você fala, do que você faz, do que você se permite... 

Uma das coisas que descobri nesses anos que venho experenciando um estilo de vida mais natural, é que a vida é muito mais COMO reagimos, fazemos, comemos, bebemos, falamos etc, do que somente O QUÊ nós fazemos. 


Também descobri que a vontade de mudar radicalmente nossos estilos de vida e, claro, a alimentação, vem de um outro extremo, o extremo do abuso com o corpo, o extremo do consumo de alimentos desvitalizados, industrializados e carregados de químicas que poluem muito mais do que nossos corpos/mentes (essa natureza interna), mas poluem a Natureza externa (sem falar, claro, das pessoas com problemas de saúde desde a infância etc.). 


Falo isso por experiência própria e por ver tantas outras pessoas optarem por mudanças radicais devido a esse desequilíbrio com a própria natureza de Ser ser humano. Não é falando isso que procuro buscar culpados para tanto esquecimento e ignorância da própria natureza, mas sim é somente uma chamada para uma avaliação de como vivemos e/ou de como queremos viver. 

Quando eu iniciei essa busca pelo que era mais saudável, foi devido a um choque que tive com meus 17 anos quando vi um documentário chamado "A Carne é Fraca"do Instituto Nina Rosa, que mostrava escancaradamente como é de verdade a indústria da carne e dos alimentos de origem animal industrializados. Durante 17 anos da minha vida, vivi numa certa "ilusão" do que era o que eu comia, de onde vinha e do que era melhor pra mim. Não me foi "ensinado" saber sentir o meu corpo, conversar com ele, me guiar pelos meus instintos reais, até porque, muitos deles nem eram possíveis de serem acessados devido à lavagem cerebral que muito influi em nossos atos enquanto crescemos como indivíduos. É tanto bombardeio de informação: TV, jornais, revistas, artistas, propagandas, médicos, nutricionistas, família etc., que mal sobra tempo para nos conectarmos com uma parcela da nossa verdade interna, esta que vamos levar a vida inteira para des-cobrir, passo-a-passo, experiência após experiência, dia após dia. Não se trata do que é certo e do que é errado somente, falar de nutrição vai muito mais além, muito mais! É nutrir todas as esferas de Ser um ser vivo. De fato, eu fui de um extremo a outro.


E fora que muitas dessas informações são direcionadas para o público urbano, este que pouco tem contato com a natureza, com o semear, plantar, esperar, colher, e consumir muitas vezes em seu estado natural, cru, e quando cozido, feito de forma mais rústica e com menos perdas de nutrientes. 


A vitalidade que se tem ao se conectar com o ritmo da natureza, é imprescindível para uma conexão real com o mais verdadeiro que há em nós. É transformador.


Às vezes quando comento isso com alguém, ou mesmo para mim mesma, sinto que é muito doido ter que me dar conta disso, quando na verdade, deveria ser a coisa mais natural de se acontecer. Isso só nos mostra o quão distantes estamos de tudo. Acho que muito dessa falta de acesso com o nosso Ser interior e com o sentir do nosso corpo exterior, atrapalha e muito nossas escolhas para viver uma vida mais íntegra, mais natural e, consequentemente, mais saudável e harmoniosa. 


Sou muito grata por ter des-coberto e ainda estar des-cobrindo tanta coisa em meio à esse caos que vivemos. Vejo pelo lado positivo que do caos vem a harmonia, e que sem o caos não há de fato a harmonia! E essa, pra mim, é a beleza da vida. Não há luz sem a escuridão, e não há saúde sem a doença. Tudo faz parte de uma dança, uma orquestra, onde o "errar"o passo, o "desafinar" a música é o que traz a harmonia e o ritmo. Talvez esse seja um dos requisitos básicos de se encarnar como Ser Humano aqui neste Planeta Terra, viver o tal do TAO (para mais informações dê uma bela lida nessa página http://pt.wikipedia.org/wiki/Tao).


"Para conseguirmos entender o curso natural das coisas e seguirmos o caminho, temos que conseguir desaprender muitos conceitos. Para podermos desaprendê-los é preciso que antes os tenhamos aprendido. Mas temos que passar a um estado muito parecido com o estado inicial em que estávamos antes de o termos aprendido." 


E no embalo desta citação sobre o TAO, me expresso como que vivendo esse desaprender. Antes dos meus 17 anos muitos conceitos eu tinha aprendido, depois dos meus 17 anos desaprendi tudo e muitos outros conceitos opostos vim a aprender. Agora, vivo novamente o momento do desaprender. Deixo ir muitas coisas, e outras prezo por deixar permanecer e crescer dentro de mim. Porém, com a sabedoria e atenção de que tudo que nasce e cresce também morre (ou, se transforma).


Até o próximo post...


Com muito amor,


Malu


2 comentários:

Emagrecersemdieta disse...

Escrevi em um post antigo seu mas agora vejo que já está passou por grande parte das mudanças que falou anteriormente. Boa sorte em sua nova jornada!

S. Araújo disse...

Fantástico Malu, muito boas reflexões. Me identifiquei especialmente com a idéia da harmonia que surge a partir do caos (idéia que inclusive inspirou o nome do meu blog 'harmonikaoz.blogspot.com.br'), e creio também que a humanidade toda está passando por esse momento de acordar para as (r)evoluções que ocorrem a partir do fluxo que nunca pára.

Trilhei muitos caminhos antes de conhecer a alimentação viva e o frugivorismo em particular, mas creio que a partir dessa mudança alimentar se desdobram várias outras. Obrigado por fazer parte dessa transformação e por compartilhar sua caminhada!

Muita luz!